Aquele momento em que você precisa arejar um pouco...

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

VIVER MAIS SIMPLES

Alexandre, meu filho de 6 anos de idade, passou uns dias com a família do meu irmão, numa cidade de interior. Para um menino urbano, que está acostumado a ficar dentro do apartamento, assistindo televisão ou jogando videogames, foi inesquecível.

Céu azul num lugar rodeado por montanhas, com chão de terra vermelha, riachos, vacas, cavalos e galinhas. A turminha composta por 3 crianças: Além do meu filho, Juliana, minha afilhada de 10 anos e Gabriel, meu sobrinho de 14.

Apenas dez casinhas - quase de pau a pique - num grande terreno delimitado por uma cerca de madeira. Liberdade para enfiarem o pé no barro, rolarem na grama, explorarem lugares desconhecidos e chegarem em casa só no fim da tarde, imundos e felizes. Sem neuroses, sem medos, sem preocupações.

Quando meu desbravador retornou, estava todo arranhado, porém vitorioso. Voltou mais criativo, alegre e cheio de auto-estima. Realmente, a gente não precisa de muito para ser feliz. Nada como uma vida simples, descomplicada. Existe coisa melhor e mais saudável??


Célia, jornalista, direto de Florianópolis

2 comentários:

Sergio, de São Paulo. disse...

Que saudades dos tempos em que a cabeça do molecada não
zunia na "hi-tech addiction" e podíamos brincar na rua, no campinho jogar
bola, carrinho de rolimã e, sobretudo, companheirismo dos amigos com que
tínhamos contato e nas férias só voltávamos à noitezinha, sujos, às vezes
machucados, mas muito felizes!

Saudosismo? Não, e sim o resgate de nossa essência, o sinônimo da infância.”

Rayane Guedes disse...

As pessoas constumam ver esse lado de viver no campo como se ele fosse bom apenas para crianças. Mas esse costume além de ser saudável para os menorzinhos ajudam a polongar a vida, evitam doenças que hoje em dia a gente justifica como sendo da idade. É um ponto que deve ser mais valorizado. Aproveito pra dizer que curti o seu espaço. Voltarei