Aquele momento em que você precisa arejar um pouco...

segunda-feira, 21 de junho de 2010

PC "DE MARCA" NUNCA MAIS

Existem as mais diversas discussões na internet, em fóruns e grupos específicos, sobre qual a melhor aquisição, se um computador Frankenstein, montadão, conhecido também como da “linha cinza” ou aqueles “de marca” e, nesse caso, me refiro aos HPs, Dells, Positivos, StIs e outros.

Geeks e o pessoal escovador de bits e bites tendem para os montados, consumidores leigos muitas vezes preferem os “de marca” adquiridos em grandes lojas de shoppings.


Eu já tive dos dois tipos e também todos os tipos de problemas com ambos – desde placas-mães que se transformam em naves-mães (vão para o espaço) em menos de um ano até memórias RAM que não se lembram de nada e HDs que pifam sem nenhum aviso.

Que uma coisa fique clara: não existe PC que não dê problema. Se existe, para mim é como disco voador: nunca vi.

Assim, de todos o pior problema é, em minha opinião, a hora do conserto. E aí os montados me parecem levar vantagem.


Esses você leva na técnica ali da esquina, chora, implora e no máximo em três dias os caras te devolvem a máquina funcionando, com tudo reinstalado no lugar.
No caso dos “de marca” isso é impossível.


Além da imensa burocracia e uma quantidade enorme de informações a serem preenchidas em meia dúzia de formulários, eles não fazem backup de sua máquina, ou seja, se no conserto for necessário apagar tudo e reinstalar o sistema, azar o seu se não tiver feito backup antes.


Além disso, dão prazos para devolução da máquina como se estivessem falando de um brinquedo e não de um instrumento de trabalho. Vinte dias sem computador é um mês perdido...


Quando comprei um Dell e a placa-mãe pifou pouco depois da garantia de um ano expirar decidi enviá-lo pro conserto numa assistência técnica "não oficial" depois de analisar a relação custo x benefício x prazo de serviço.


Agora, com um novíssimo e poderoso HP ainda na garantia, outra vez um placa-mãe me deixou órfão. Dei entrada na assistência “oficial” no dia 10 de junho. Hoje, dia 21, liguei para o Suporte HP e me disseram que “a máquina está em processo de análise e tudo está dentro do prazo estipulado em contrato”.


Grande merda.

Aprendi e passo a lição a você: na hora de comprar um computador, esqueça grandes lojas de shoppings e marcas. Vá a uma dessas assistências aí em seu bairro e encomende uma máquina. A luta na hora de exigir conserto rápido será menos desfavorável que contra uma HP ou Dell.


PC “de marca” nunca mais.

Nenhum comentário: